Plataforma Co.Educar: troca entre professores

Buscando inovações que podem transformar a educação, alunos do Open City lançaram o produto final do curso: a plataforma Co.Educar. O evento de lançamento reuniu pais, alunos, o jornalista e professor do Open City, Alexandre Sayad, a equipe do Departamento Cultural, o jornalista e criador do portal Catraca Livre, Gilberto Dimenstein, o especialista em educação e tecnologia, Michel Metzger e parte da equipe de tecnologia do Bandeirantes.

open2

Totalmente desenvolvida pelos alunos, a Co.Educar é uma plataforma que promove o compartilhamento de metodologias e conteúdos de sala de aula entre professores do Brasil e do mundo que, a partir desse contato, podem melhorar e desenvolver novas habilidades de ensino.

open1

Durante o ano, os alunos conversaram com diversos profissionais – como Michel Metzger – que os ajudaram na concepção da ideia e desenvolvimento. Os profissionais de tecnologia do Band Fabio Gondo e Márcio Franco realizaram uma mentoria na área. Outros 7 profissionais inovadores estiveram presentes no curso, entre eles Marcos Silveira, que criou o Datapedia e concorre ao prêmio de empreendedor social do ano pela revista Veja.

open3

No processo, os estudantes se dividiram em cinco grupos – arte, tecnologia, comunicação, parcerias e conteúdo – para colocar a plataforma na ativa. O projeto foi uma oportunidade para que os alunos tivessem liberdade criativa, solucionando um problema de sua própria maneira.

“Vejo o Co.Educar não mais como um projeto mas sim como uma realidade construída por todos nós do Open City durante todo esse ano. Aprendi principalmente sobre a dinâmica de realizar um projeto, apresentar e como trabalhar em grupo. Foi o mais marcante para mim”, disse o aluno Diego Soares, da 1.a série do Ensino Médio. “A ideia é brilhante. O Co.Educar e o Open City são trabalhos colaborativos, assim como o mundo de hoje”, contou Waldir Soares, pai de Diego.

“Achei fantástico e com muito potencial! Projetos como esse abrem a mente e acho que pode fazer diferença na vida da minha filha”, disse Luiz Rezende, pai da aluna da 1.a série do Ensino Médio, Giuliana Rezende.

Para o futuro, Diego explica que os alunos irão se organizar para continuar com a plataforma e, através de parcerias com cada vez mais professores, crescer.